Conecte-se a nossa Rede

Aconteceu

Duas mortes por R$ 40,00

Avatar

Publicado

dia

Dois menores pobres de Santa Maria que participaram do assassinato dos estudantes da UDF confessaram à polícia que receberam para cometer o crime

Galileu chega à Delegacia da Criança e do Adolescente para prestar depoimento. Ontem mesmo ele foi encaminhado para o Caje, onde fica recolhido por até três anos por atirar duas vezes nos estudantes
(foto: Jefferson Rudy/CB/D.A Press)

Esta matéria foi publicada originalmente na edição de 6 de março de 1998 do Correio. Sua republicação faz parte do projeto Brasília Sexagenária, que até 21 de abril de 2020 trará, diariamente, reportagens e fotos marcantes da história da capital. Acompanhe a série no site especial e no nosso Instagram.

Duas vidas que se foram em troca de apenas R$ 40,00. Foi o que os dois menores, conhecidos como E.T. e Galileu, ganharam para participar do assassinato do casal de universitários, Gabriela Adler e Flávio Martins de Carvalho. Para os dois adolescentes de famílias pobres de Santa Maria a oferta era bastante atrativa. Ajudar Carlos Roberto Rodrigues, 21 anos, o Galego, a cometer mais um assalto em troca de alguns reais. Segundo o depoimento deles à polícia, E.T., de 15 anos, recebeu R$ 10,00. Galileu, de 16 anos, ganhou mais, pois além de ajudar no assalto, deu os dois tiros que mataram Flávio.

Os dois menores foram presos na quarta-feira em Santa Maria. Carlos Rodrigues, conhecido como Galego, já estava preso desde domingo em Luziânia. Na última sexta-feira, à noite, eles seqüestraram Gabriela, de 22 anos, e Flávio, de 25 anos, no estacionamento da Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal.

Galego rendeu os estudantes que conversavam no Fiat Tipo da moça. Assumiu a direção do veículo, enquanto os outros dois menores roubaram o Ômega de Flávio. Seguiram rumo à Saída Sul e numa estrada de chão perto de Luziânia executaram o casal. Depois incendiaram o Tipo com os dois corpos dentro. A polícia conseguiu chegar até eles, porque cometeram outro assalto em seguida semelhante no Novo Gama e acabaram deixando pistas.

Ontem, na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), E.T e Galileu admitiram a participação no assalto e na morte do casal de universitários, sem demonstrar arrependimento algum. Segundo um policial que acompanhou os depoimentos e pediu para não se identificar, os dois adolescentes responderam às perguntas de forma indiferente. “Parece que eles não têm noção do crime bárbaro que cometeram”, comentou.

E.T, em seu depoimento, afirma que quem matou o casal foram Galileu e Carlos Rodrigues. Ele conta que apenas ajudou no assalto e a incendiar o Fiat Tipo de Gabriela, com os corpos dela e de Flávio. “Não atirei nos dois. Ajudei a colocar apenas fogo no carro”, contou. Seu comparsa confirmou a história, confessando que ficou a seu cargo matar o rapaz e que a moça foi assassinada por Galego.

Os detalhes são cruéis. Os garotos contaram que Gabriela chorava muito e que viu o ex-namorado sendo morto com dois tiros por Galileu. Depois Galego teria tomado conta da situação. Primeiro esmurrou o rosto da moça para após matá-la com três tiros. Galileu ainda lembra que antes de matar Flávio, ele se ajoelhou e pediu para que não o matassem pelo amor de Deus. “Galego já tinha dito que os dois teriam de morrer. Por isso atirei no cara”, declarou.

Nos depoimentos os garotos jogam a responsabilidade pelo comando do crime em Galego. Os dois afirmaram que não atearam fogo no Tipo sozinhos como afirmou o terceiro criminoso em depoimento na delegacia de Santa Maria. Eles garantiram que Galego estava junto. Os menores também negaram que estavam sob efeito de drogas.

Mãe acusa más companhias

E.T, de 15 anos e Galileu, de 16, prestaram separadamente depoimentos ontem na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), que duraram mais de duas horas cada um. O primeiro a chegar à delegacia e ser ouvido foi C.P.S., de 15 anos, o E.T. Ele chegou às 4h00 da madrugada, acompanhado da mãe, Zumira, de 44 anos e da irmã mais velha, de 19 anos. O garoto só começou a ser ouvido às 09h00 da manhã. Todo o seu depoimento foi acompanhado pela mãe que muito abalada não conseguia acreditar nas palavras do próprio filho. “Não vou dizer que meu filho é santo. Mas se ele fez o que estão dizendo, por por causa das más companhias”, desabafou

Na delegacia de Santa Maria, os menores chegaram a dar depoimentos também. E.T não conseguiu explicar o que aconteceu depois do crime. De acordo com sua versão, ele se separou do grupo logo depois de incendiarem o carro, utilizando a própria gasolina do veículo. Voltou para sua casa em Santa Maria e foi dormir. J.R.S., de 16 anos, o Galileu confirma a história. E acrescentou que depois ele e Galego teriam encontrado outros dois menores, ainda não identificados, e juntos foram até Luziânia no Ômega roubado do universitário Flávio Martins, uma das vítimas.

Lá realizaram o primeiro saque num caixa eletrônico com o cartão do estudante. Depois só restaram respostas vagas. Os dois menores afirmaram desconhecer o destino do carro e não sabem explicar os outros saques que foram feitos.

Galileu rebateu em seu depoimento a versão do Galego de que ele teria sido o mandante do crime. Segundo um policial, o rapaz “já é escolado”, foi interno do Caje por tentativa de homicídio, por isso jogou a culpa no adulto. Este sim teria determinado que o casal deveria morrer, segundo o garoto.

Ontem mesmo, os dois adolescentes foram levados à promotoria da Vara da Infância e da Juventude que pediu a internação provisória deles no Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje). De acordo com a delegada da DCA, Suzana Machado, os menores ficarão internados no centro no máximo por três anos como prevê o Estatuto da Criança. “Independente do crime que cometeram, os menores de idade, o tempo de internação não pode superar esse período. Em sua opinião, a miséria e a desestruturação familiar levam a crimes desse tipo. “Apesar de toda a experiência que tenho na polícia, ainda fico chocada com crimes bárbaros como esse”, comentou.

O menino feio e mirrado que mata adultos

O apelido E.T ele ganhou por causa da magreza. A mãe tentou segurá-lo em casa mas tudo mudou quando conheceu os novos amigos “barra pesada”

Ele mede 1,57 metro e pesa 38 quilos. Cabelos bem ralos e profundas olheiras. Tem cara e voz de menino, jeito de criança dewsnutrida e desprotegida. Só jeito. Age como adulto e ajuda a matar adultos. Só não apertou o gatilho, mas tocou fogo nos corpos — como admitiu, formalmente, em depoimento à Delegacia da Criança e do Adolescente.

C.P.S., de 15 anos, é assim. À primeira vista, parece um adolescente como outro qualquer. Poderia ser. Pai pedreiro e mãe dona de casa, teve uma vida humilde. Como humilde é toda a vizinhança que o cerca. Numa casa modesta na QR 203, em Santa Maria, vivia com os pais e cinco irmãos.

Desde pequeno, foi apelidado de E.T. (Extraterrestre). O codinome veio por causa do baixo peso — e como comentam os vizinhos — “pelo jeito feio e esquisito que tinha”. E assim cresceu. Aparentemente sem traumas pela feiúra e pela magreza. Não se importava com o apelido. Pelo contrário. Tirava proveito dele. E.T impunha respeito, mesmo com o físico esquálido.

Nunca foi amante dos estudos. Abandonou a escola na quarta série. A mãe, Zumira, de 44 anos, ficou chateada. Semi-analfabeta, o sonho era ver um dos filhos “com diploma”. Difícil realizar o sonho, principalmente se depender de E.T. “Ele dizia que não precisava de estudo para se dar bem na vida”, conta uma vizinha.

Desde pequeno, E.T. começou a dar trabalho. Brigava na rua e sumia vez por outra. Zumira se desesperava. Foram noites e dias de preocupação com o filho mirrado. Por diversas ocasiões, ela chegou a comentar com a vizinhança que tinha medo de que algo pudesse acontecer com ele. Parecia pressentimento.

Apelou para castigo, para promessa. Nada. “Como é que se prende menino homem dentro de casa”, perguntava-se. Virou evangélica da Igreja Batista. Levou E.T.Ele até se converteu. Mas não durou muito tempo. Foi quando conhecer os amigos “barra pesada”. A vida de Zumira virava do avesso.

Culpa dos amigos

Na manhã de terça-feira, quando investigadores da 33ª DP (Santa Maria) foram à casa de E.T. e contaram para Zumira que seu filho estava envolvido na morte dos estudantes Gabriela Adler, de 22 anos, e Flávio Martins de Carvalho, 24 — executados e queimados na noite de sexta-feira — ela não acreditou.

E.T. não estava em casa. Na quarta-feira, por volta das 16h, os policiais voltaram a sua residência. Chegaram a tempo, Zumira levava o filho para a casa de um parente em Santo Antônio do Descoberto. Jura que não iria escondê-lo.

O menino fraquinho, com jeito de criança, sai algemado. Zumira se descontrola. Não acredita no que vê, tampouco com o que dizem do seu filho. “Oh, gente, ele é tão pequenininho e fraquinho, que não vejo como pode ter feito mal a alguém”, lamentou na DCA, ontem pela manhã. Depois, como se admitisse e quisesse diminuir a culpa do filho, garante: “Meu filho não é um santo, mas se fez o que fez foi por causa das más companhias”>

Carroceiro

Amigo de E.T., J.R.S., de 16 anos — conhecido como Galileu — também participou da noite de horror em que Gabriela e Flávio foram mortos. Ao contrário do colega, não jogou gasolina nos corpos dos estudantes.

Preferiu matar, impiedosamente, o rapaz. Nem o pedido de clemência de Flávio: “Por favor, não me mate, leve tudo o que você quiser, eu tenho dinheiro” (foi segundo o próprio adolescente o que Flávio teria dito antes de morrer) compadeceu o garoto.

Ele estava decidido. E assim o fez. Depois, ordenou para que Carlos Rodrigues de Souza, 21 anos, conhecido como Galego — que também participou da barbárie — executasse Gabriela. “Atira, atira, se não vou atirar no seu pé”, teria ordenado Galileu a Galego. Ele obedeceu.

Ex-interno do Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje) por duas vezes (primeira por homicídio e a segunda por furto de veículo, de onde saiu em dezembro) — Galileu sempre deu trabalho em casa. Deixou a escola na 4ª série e quis trabalhar. Bebia e era comum ficar embriagado.

Arrumou uma carroça e um cavalo e virou carroceiro. Recolhia garrafas e catava papel nas ruas de Santa Maria. Além disso, seu hobby era, segundo a vizinhança, roubar cavalos em Santa Maria e vender no Novo Gama.

Na noite de sexta-feira, quis ganhar dinheiro. Muito dinheiro. Não saiu com nada. Gabriela e Flávio pediram para não morrer. E.T, Galileu e Galego não tiveram pena.

Polícia procura mais um

Pelo menos mais um menor pode estar envolvido no assassinato dos dois estudantes da Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal (AEUDF). Seria o menor conhecido como Berg, 16 anos, que também morava em Santa Maria. Ele está desaparecido desde a manhã do último domingo.

“Nunca achei que meu filho fosse marginal”, disse o pai. Antônio Souza Nascimento, 60 anos, que possui uma banca de loterias e jogo do bicho, chorando muito. “Ele sempre teve tudo. Nunca encostei um dedo no moleque”.

Segundo amigos do menor, ele teria sido apanhado na sua casa na última sexta-feira por Galileu e participado do assassinato dos estudantes. Coincidentemente, Berg mora em frente da casa de Carlos Rodrigues de Souza e, segundo vizinhos, costumava sair com a turma do menor Galileu.

 

Clique para Comentar

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ERROR: si-captcha.php plugin: GD image support not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable GD image support for PHP.

ERROR: si-captcha.php plugin: imagepng function not detected in PHP!

Contact your web host and ask them to enable imagepng for PHP.

Aconteceu

Suspeito de espancar e esfaquear cunhada no pescoço é preso no norte do estado

Avatar

Publicado

dia

Por

A polícia informou que o homem é usuário de drogas e estava sob efeito de substâncias químicas quando tudo aconteceu. Ele teria atacado a mulher do irmão por acreditar em uma suporta traição.

Suspeito estava foragido desde setembro de 2020 — Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu um homem de 33 anos que é suspeito de tentar matar a cunhada com três facadas no pescoço em Axixá, no norte do Tocantins. O crime foi em setembro de 2020. Na época a vítima precisou ser internada após o ataque. O nome do suspeito não foi divulgado pela polícia e por isso o G1 não conseguiu localizar a defesa dele..

O delegado do caso, Thyago Bustorff, explicou que o homem é usuário de drogas e estaria sob o efeito das substâncias no dia do crime. Ele teria começado a discutir com a cunhada porque acreditava em uma suposta traição por parte dela. O irmão do suspeito que é casado com a vítima interferiu e conseguiu socorrer a mulher.

Na época, ele ainda derrubou a vítima no chão e desferiu diversos golpes contra ela antes de ser desarmado. Ele estava foragido da Justiça desde a época e foi localizado na manhã desta terça-feira (11) em Axixá. Agora o homem deve responder por tentativa de feminicídio.

Continue Lendo

Aconteceu

Dono de desmanche de veículos é preso por receptação em Uberlândia

Avatar

Publicado

dia

Por

Prisão aconteceu na manhã desta segunda-feira (8), após um veículo roubado em Itumbiara ser rastreado até o desmanche.

Proprietário do local afirmou ter comprado veículo de um vendedor de Catalão — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Um homem foi preso nesta segunda-feira (8) em Uberlândia, após ser identificado como o dono de um desmanche de veículos roubados. A prisão aconteceu após um veículo roubado na sexta-feira (7), em Itumbiara, ser rastreado até o desmanche. O veículo foi recuperado.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), a corporação foi acionada na manhã desta segunda (10) para ir até o Bairro Segismundo Pereira. Os solicitantes eram funcionários de uma empresa de rastreamento de veículos e informaram aos militares que o caminhão roubado estava no endereço denunciado, na Rua Amâncio Jorge Monteiro.

Uma guarnição policial se deslocou até o local denunciado e foi atendida por um homem de idade não informada, que se identificou como o proprietário da empresa. Lá dentro os militares encontraram diversos equipamentos, objetos de veículos, ferramentas e caminhões desmontados, inclusive o veículo roubado em Goiás.

Policiais encontraram peças de diversos veículos no local — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Policiais encontraram peças de diversos veículos no local — Foto: Polícia Militar/Divulgação.

Segundo relato do suspeito aos policiais, ele havia comprado o caminhão naquele mesmo dia de um homem conhecido por ter uma garagem de compra e venda de veículos na cidade de Catalão, no estado de Goiás. Ele afirmou ter dado uma entrada de R$ 50 mil e que pagaria mais dez parcelas as de R$ 25 mil. Ele iria desmontar o veículo e pintá-lo de vermelho para depois revendê-lo.

Os funcionários da empresa de rastreamento identificaram o caminhão pelo chassi, cor e modelo. Além disso, a documentação dele também foi encontrada no local. Assim o suspeito foi detido por receptação e levado para a delegacia de plantão. O caminhão foi encaminhado juntamente com as peças já desmontadas para um pátio.

Continue Lendo

Aconteceu

Dois funcionários são parcialmente soterrados após desabamento em obra de condomínio em Brasília

Avatar

Publicado

dia

Por

Trabalhadores foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e levados para Hospital de Base; estado de saúde ‘é estável’. Incidente aconteceu no fim da manhã desta terça-feira (11), na Octogonal.

Bombeiros resgatam operários após deslizamento de terra em obra no DF — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Dois funcionários de uma obra em um condomínio na Octogonal, em Brasília, foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros após serem parcialmente soterrados, nesta terça-feira (11). Segundo os militares, os trabalhadores atuavam na impermeabilização da parede da garagem do prédio, quando uma tubulação de água se rompeu e causou o deslizamento de terra.

O incidente aconteceu por volta das 11h30. Seis funcionários estavam no local no momento do acidente, mas apenas dois ficaram soterrados. Inicialmente, os demais trabalhadores tentaram resgatar os colegas, mas não tiveram sucesso.

Dois funcionários são soterrados em obra em Brasília, nesta terça-feira (11) — Foto: Arquivo pessoal

Dois funcionários são soterrados em obra em Brasília, nesta terça-feira (11) — Foto: Arquivo pessoal

Segundo o Corpo de Bombeiros, Domingos Ribeiro, de 34 anos, foi levado ao Instituto Hospital de Base do DF (IHBDF) com suspeita de fratura no pé direito e escoriações pelo corpo. Já Isac Pereira, de 22 anos, não apresentava ferimentos aparentes, mas foi encaminhado à unidade de saúde porque reclamava de dores na coluna cervical.

Continue Lendo

Aconteceu

Policial civil reage a assalto e mata suspeito, em Vicente Pires, no DF

Avatar

Publicado

dia

Por

Continue Lendo

Aconteceu

Foragido da Papuda há cinco anos é recapturado pela Polícia Penal

Avatar

Publicado

dia

Por

Os policiais identificaram que o interno utilizava mais de um nome falso para despistar a polícia, de modo a inviabilizar a recaptura

(crédito: Polícia Penal/Divulgação)

A Polícia Penal do Distrito Federal recapturou, nesta quarta-feira (28/4), um homem foragido do Complexo Penitenciário da Papuda desde 2016. Segundo as investigações, o preso foi contemplado com a ‘saidinha’ — benefício concedido pela Vara de Execuções Penais — em julho e não mais retornou ao sistema prisional na data prevista.

Os policiais identificaram que o interno utilizava mais de um nome falso para despistar a polícia, de modo a inviabilizar a recaptura. Ele foi preso por volta das 6h, em casa, em São Sebastião.

O preso tem passagens por furtos diversos, porte ilegal de arma de fogo, ameaça e dano, receptação, além de duas ocorrências por furto de bicicleta. Após ser detido, ele foi encaminhado à 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) e deve ser readequado na Papuda.

Continue Lendo

Aconteceu

Após trocar tiros com policiais militares, criminoso é morto em Samambaia

Avatar

Publicado

dia

Por

Segundo a PMDF, durante patrulhamento nas Quadras 400 de Samambaia, os policiais ordenaram que o motorista de um veículo parasse. Após perseguição, suspeitos saíram do carro armados

No carro, a polícia encontrou 3kg de maconha – (crédito: PMDF/Divulgação)

Um tiroteio deixou um suspeito morto na madrugada desta quarta-feira (28/4), em Samambaia. A troca de tiros entre criminosos e policiais militares das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) começou após a corporação ter sido atacada.

Segundo a PMDF, durante patrulhamento nas Quadras 400 de Samambaia, os policiais ordenaram que o motorista de um veículo parasse. O condutor, no entanto, não teria obedecido e a equipe deu início à perseguição. No Morro do Sabão, os dois criminosos abandonaram o carro e saíram do automóvel. Armado, um dos homens atirou contra os militares, que reagiram.

O criminoso baleado chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O outro conseguiu fugir para um matagal. Dentro do carro, roubado no Novo Gama, em Goiás, a polícia encontrou 3kg de maconha prensada. A equipe também apreendeu um revólver calibre 38, com três munições deflagradas e duas intactas. O material apreendido foi entregue à 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia Norte).

 

Continue Lendo

Viu isso?