Home » Aconteceu » Rollemberg: “Quero ter uma ligação direta com eleitor no 2º turno”

Rollemberg: “Quero ter uma ligação direta com eleitor no 2º turno”

Em sua primeira caminhada após avançar no primeiro turno, o governador esteve em Sobradinho II e prometeu melhorias para a cidade

O candidato à reeleição ao Palácio do Buriti, Rodrigo Rollemberg (PSB), escolheu a região de Sobradinho II para retomar sua campanha de rua após o primeiro turno das eleições. O governador não poupou críticas a seu concorrente Ibaneis Rocha (MDB). Porém, sem citar o nome dele: “Vamos mostrar a verdade. Revelar a biografia dos candidatos, quem ė que está apoiando cada candidato e o que cada um esconde”.

Para o segundo turno, o buritizável pretende estar mais próximo da população: “Vamos buscar uma ligação direta com o eleitor no segundo turno”. Para isso, aposta na campanha de rua e no programa eleitoral de rádio e TV, que recomeça nesta sexta (12/10) e vai até o dia 26. Nesta fase das eleições, os candidatos terão tempo igual de cinco minutos.

Rollemberg espera “uma movimentação natural do eleitorado” de Ibaneis para ele. “Essa eleição mostrou que os partidos políticos e os grandes caciques estão extremamente desgastados”, argumentou.

O candidato reafirmou a neutralidade entre os postulantes ao Palácio do Planalto. “Manifesto minha posição política de independência em relação à eleição presidencial. É triste e preocupante ver famílias se dividindo, amigos se distanciando em função de posições políticas divergentes. Nosso desafio é unir Brasília em torno de seus objetivos prioritários de desenvolvimento econômico com distribuição de renda, melhoria dos serviços públicos e da qualidade de vida da população”, afirmou.

Obras
Na caminhada pela Feira Permanente da cidade, ao lado de Leila do Vôlei (PSB), eleita senadora, Rollemberg disse que dará prosseguimento ao que já vem fazendo. Citou, por exemplo, a reforma do espaço e a construção do terminal de ônibus no local, além da obra do Trevo de Triagem Norte e a ligação Torto-Colorado.

Uma das maiores reclamações dos feirantes é a cobertura do telhado. A obra começou em março deste ano e não foi finalizada. “Vamos concluir a cobertura ainda este ano e ampliar o estacionamento daqui”, prometeu o governador.

Ele também foi cobrado pelas delegacias que ficam fechadas no período noturno por falta de contingente. “Nós já estamos iniciando concurso para a contratação de novos policiais civis e para poder abrir à noite essas 14 delegacias que só funcionam durante o dia. E, até o final do ano, teremos 2,2 mil câmeras de segurança interligadas aos sistema Integrado de Operação de Brasília”, rebateu.

Durante o percurso pela feira ainda vazia, o buritizável também comentou sobre a extinção da Agência de Fiscalização (Agefis) – bandeira adotada pelo concorrente emedebista – e admitiu que o órgão precisa de ajustes: “Propor o fim da Agefis é de uma irresponsabilidade sem tamanho. Teríamos uma cidade desorganizada. É preciso aperfeiçoá-la e modernizá-la, para que ela possa atuar o mais rápido possível, antecipadamente, evitando que as situações de fato se consolidem”.

la feira ainda vazia, o buritizável também comentou sobre a extinção da Agência de Fiscalização (Agefis) – bandeira adotada pelo concorrente emedebista – e admitiu que o órgão precisa de ajustes: “Propor o fim da Agefis é de uma irresponsabilidade sem tamanho. Teríamos uma cidade desorganizada. É preciso aperfeiçoá-la e modernizá-la, para que ela possa atuar o mais rápido possível, antecipadamente, evitando que as situações de fato se consolidem”.

 

 

 

 

Publicação: Redação Brasil (m)

Login

Perdeu sua senha?