Home » Destaque Principal » Governo pode leiloar usinas que a Cemig perdeu a concessão

Governo pode leiloar usinas que a Cemig perdeu a concessão

Usi­nas cu­ja con­ces­são a Ce­mig per­deu po­de­rão ser no­va­men­te li­ci­ta­das, con­for­me por­ta­ria do governo. Ban­ca­da mi­nei­ra na Câ­ma­ra pro­me­te bri­gar pe­la ma­nu­ten­ção

Por­ta­ria do Mi­nis­té­rio de Mi­nas e Ener­gia (MME), pu­bli­ca­da on­tem no Diá­rio Ofi­cial da União (DOU), dei­xa a si­tua­ção da Com­pa­nhia Ener­gé­ti­ca de Mi­nas Ge­rais (Ce­mig) ain­da mais com­pli­ca­da quan­to às con­ces­sões das usi­nas de Ja­gua­ra, São Si­mão, Mi­ran­da e Vol­ta Gran­de. A pas­ta au­to­ri­zou a Agên­cia Na­cio­nal de Ener­gia Elé­tri­ca (Aneel) a pro­mo­ver a re­li­ci­ta­ção das qua­tro hi­dre­lé­tri­cas.

O tex­to pre­vê que o lei­lão se­ja rea­li­za­do até 30 de se­tem­bro des­te ano. A ques­tão, no en­tan­to, não es­tá pa­ci­fi­ca­da e po­de ren­der até uma es­pé­cie de gre­ve de vo­ta­ções da ban­ca­da mi­nei­ra na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos e Se­na­do, ca­so não se­ja en­con­tra­da uma so­lu­ção po­lí­ti­ca pa­ra ma­nu­ten­ção do di­rei­to da es­ta­tal mi­nei­ra a es­ses ati­vos.

Nessa quarta-feira (5), o pre­si­den­te da Ce­mig, Ber­nar­do Afon­so Sa­lo­mão de Al­va­ren­ga, se reu­niu com o vi­ce-pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Fá­bio Ra­ma­lho (PMDB-MG), e mais cer­ca de 20 de­pu­ta­dos mi­nei­ros pa­ra tra­tar do as­sun­to. Na reu­nião, fi­cou de­fi­ni­do que os par­la­men­ta­res vão pres­sio­nar o go­ver­no fe­de­ral pa­ra ten­tar uma saí­da pa­ra o im­pas­se.

“Eles (go­ver­no fe­de­ral) não es­tão res­pei­tan­do os con­tra­tos. Mas nós que­re­mos uma so­lu­ção po­lí­ti­ca, não só fi­nan­cei­ra pa­ra o as­sun­to”, afir­mou Ra­ma­lho. Ain­da de acor­do com o de­pu­ta­do, se as ne­go­cia­ções não sur­ti­rem efei­to até a da­ta pre­vis­ta pa­ra o lei­lão, a ban­ca­da mi­nei­ra vai cru­zar os bra­ços quan­to aos pro­je­tos de in­te­res­se do Pla­nal­to. “Nós não que­re­mos bri­gar, mas va­mos exi­gir que é de Mi­nas. Is­so é aci­ma de qual­quer ques­tão par­ti­dá­ria”, de­cla­rou.

No en­ten­di­men­to do pre­si­den­te da Ce­mig, a pu­bli­ca­ção da por­ta­ria sur­preen­deu e mos­tra que o go­ver­no fe­de­ral não tem ti­do boa von­ta­de com a ques­tão mi­nei­ra. “O que nós que­re­mos é um acor­do, mas não po­de­mos acei­tar que to­mem as usi­nas da gen­te com es­sa si­tua­ção. A gen­te não es­ta­va es­pe­ran­do que is­so acon­te­ces­se (a pu­bli­ca­ção da por­ta­ria)”, con­tou Ber­nar­do Sa­lo­mão. Ele dis­se que sen­tiu boa von­ta­de da ban­ca­da mi­nei­ra no en­con­tro de on­tem e es­pe­ra a in­ter­me­dia­ção dos par­la­men­ta­res pa­ra so­lu­cio­nar o im­pas­se.

De acor­do com a por­ta­ria, o lei­lão te­rá três lo­tes, com São Si­mão no pri­mei­ro. Ja­gua­ra, Mi­ran­da e Vol­ta Gran­de en­tram co­mo su­blo­tes do se­gun­do lo­te; e a Pe­que­na Cen­tral Hi­dre­lé­tri­ca Agro Tra­fo no ter­cei­ro lo­te. Co­mo cri­té­rio de jul­ga­men­to das pro­pos­tas, de­ve­rá ser uti­li­za­do o maior va­lor de bo­ni­fi­ca­ção pe­la ou­tor­ga. As con­ces­sões se­rão ou­tor­ga­das pe­lo pra­zo de 30 anos, “con­ta­dos da da­ta de as­si­na­tu­ra do con­tra­to de con­ces­são ou do tér­mi­no do con­tra­to vi­gen­te, o que ocor­rer por úl­ti­mo”.

Na ter­ça-fei­ra, o mi­nis­tro de Mi­nas e Ener­gia, Fer­nan­do Coe­lho Fi­lho, rei­te­rou a es­ti­ma­ti­va do go­ver­no de ob­ter cer­ca de R$ 12 bi­lhões no lei­lão. “A nos­sa ex­pec­ta­ti­va, dan­do tu­do bem, é de que o lei­lão pos­sa ocor­rer em se­tem­bro e os re­cur­sos pos­sam ser de­po­si­ta­dos em no­vem­bro”, dis­se o mi­nis­tro.

O en­ca­mi­nha­men­to do pro­ces­so vi­san­do à re­li­ci­ta­ção das usi­nas da Ce­mig de Ja­gua­ra, São Si­mão e Mi­ran­da foi pos­sí­vel de­pois que o Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral e o Su­pe­rior Tri­bu­nal de Jus­ti­ça sus­pen­de­ram li­mi­na­res que man­ti­nham a es­ta­tal mi­nei­ra no co­man­do das usi­nas. A pe­di­do da Ad­vo­ca­cia-Ge­ral da União (AGU), o mi­nis­tro Mau­ro Cam­p­be­ll, do STJ, re­vo­gou a li­mi­nar re­la­cio­na­da à ti­tu­la­ri­da­de da Usi­na de São Si­mão, após de­ci­são idên­ti­ca  en­vol­ven­do Ja­gua­ra.

A li­mi­nar foi re­vo­ga­da após ten­ta­ti­va frus­tra­da de acor­do en­tre a es­ta­tal mi­nei­ra e a União. No en­ten­di­men­to do mi­nis­tro, não há mais mo­ti­vos pa­ra que a Ce­mig per­ma­ne­ces­se na ti­tu­la­ri­da­de das usi­nas.

O im­pas­se ain­da não es­tá ju­ri­di­ca­men­te re­sol­vi­do  por­que o Su­pre­mo ain­da não se po­si­cio­nou so­bre o mé­ri­to da cau­sa. “A si­tua­ção fi­ca com mais le­nha na fo­guei­ra, prin­ci­pal­men­te, de­pois des­sa por­ta­ria, mas es­ta­mos es­tu­dan­do to­das as me­di­das que po­de­mos to­mar. Es­sa reu­nião de ho­je foi a pri­mei­ra e te­re­mos no­vos pas­sos nos pró­xi­mos dias. ”, des­ta­cou o pre­si­den­te da Ce­mig.

Publicação: Redação Brasil (m)
Tags

Publicações Similares

Login

Perdeu sua senha?