Home » Sauda » ALIADOS NATURAIS: OS ALIMENTOS QUE AJUDAM A REDUZIR A INFLAMAÇÃO DO CORPO

ALIADOS NATURAIS: OS ALIMENTOS QUE AJUDAM A REDUZIR A INFLAMAÇÃO DO CORPO

Você já ouviu falar em “reduzir a inflamação no corpo” para uma vida mais saudável? Segundo a Dra. Lenina Matioli, médica nutróloga especialista pela Associação Brasileira de Nutrologia, esse processo ocorre devido a uma reação natural de defesa do organismo. Como um mecanismo de sobrevivência diante de qualquer sinal entendido como “agressão”, como a entrada de uma bactéria, um corte na pele, possíveis adaptações musculares após o treino etc.

Imunidade em risco

Ele se torna crônico quanto o sistema imunológico não “desliga” por um desajuste interno – ou porque tais ações não cessaram. “Grande parte das doenças tem uma base na inflamação crônica: obesidade, patologias autoimunes, cânceresdiversos, entre outras”.

Berries como oxicoco e mirtilo contribuem para reduzir os processos inflamatórios no corpo
Berries como oxicoco e mirtilo contribuem para reduzir os processos inflamatórios no corpo

Naturais

Para a profissional, inclusive, a alimentação atua como forte aliada nesse controle e recuperação. Certos alimentos são extremamente indicados para promover uma espécie de “limpeza interna”, regulando as vitaminas, minerais, enzimas e danos causados pelos radicais livres, por exemplo. Quer saber quais são?

Salmão, sardinha e atum: “peixes de água fria e profunda, por serem ricos em ômega-3”, ela fala. Para aproveitar o máximo dos seus óleos naturais, é recomendado que não sejam fritos ou consumidos com muito sal.

Cúrcuma: “seu princípio ativo, a curcumina, ajuda a bloquear algumas substâncias que são desencadeadas na inflamação”. Fora que é um desintoxicante orgânico do fígado; pode contribuir, ainda, no metabolismo da gordura e na moderação do peso.

Gengibre: conforme a especialista, o termogênico contém gingerol (responsável pelo sabor picante) cujo efeito diminui a produção da inflamação. Poderoso bactericida, facilita a digestão e melhora desconfortos como náuseas e cólicas menstruais. Bastante associado também ao tratamento de dores e infecções como gripes e tosses.

Não adianta incluir alimentos anti-inflamatórios na dieta se aqueles com efeito contrário continuarem sendo consumidos FOTO: thinkstock
Não adianta incluir alimentos anti-inflamatórios na dieta se aqueles com efeito contrário continuarem sendo consumidos 

Berries (cranberry – oxicoco; gojiberry; blueberry – mirtilo): “frutas ricas em vitamina C e inúmeros minerais como fósforo, potássio e selênio, que operam na atenuação da inflamação”, a médica afirma. Normalmente pequenas e azedinhas, têm compostos fenólicos como os flavonoides e as antocianinas, os quais amenizam os impactos oxidativos e neurodegenerativos no organismo.

Abacate: muito em voga hoje em dia, ele é fonte de um tipo de fitosterol, eficiente no combate à ação inflamatória, a expert avisa. Bom para o coração, para o cérebro e para a manutenção dos níveis de colesterol, por causa da grande quantidade de ácido fólico, vitamina E e gorduras monoinsaturadas.

Balança alimentar

“É fundamental, além de adicionar opções anti-inflamatórias, eliminar as pró-inflamatórias, para que a dieta realmente apresente benefícios”, a Dra. Lenina ressalta. “Ou seja, retirar alimentos industrializados, ricos em açúcares e farinhas (especialmente, refinados), gorduras trans, entre outros, como pães, bolos, biscoitos, frituras. O poder de inflamar destes é maior que o de desinflamar da lista citada anteriormente”. #ficaadica

Publicação: Redação Brasil (m)
Tags

Login

Perdeu sua senha?